Artigos

« Voltar para artigos
Termos de moda que usamos de forma errada

Termos de moda que usamos de forma errada

09 de Dezembro de 2016 | Por Luiza Fuzaro

Olá, leitor!

Durante a faculdade, percebi que algumas palavras e expressões que eu costumava usar estavam erradas ou com o significado invertido e isso me deixava muito confusa e curiosa. Não fazia ideia de que estava errado! Como essas informações chegaram tarde até mim, somente na faculdade, quero compartilhar algumas coisas que eu aprendi para te ajudar a talvez aprender mais rápido que eu rsrsrsr!

Uma das primeiras palavrinhas que eu aprendi foi o tal do “pano”.


PANO

Essa palavra, na realidade, segundo o Dicionário Aurélio é “Qualquer tecido de algodão, linho ou seda.”. Entretanto, falar “pano” no ambiente acadêmico ou no ramo da moda é condenável! Já perdi as contas de quantas vezes vi meus professores nos corrigindo dizendo: NÃO É “PANO”, É “TECIDO”!!! PANO É DE CHÃO!

Portanto: Pano X Tecido


CINTURA ALTA

A marcação da altura da cintura também é um erro muito comum. A “cintura alta” de uma roupa não é exatamente no lugar da cintura natural, mas acima dela. Aquela altura natural se chama “cintura no lugar”.


 ALTA-COSTURA

 A palavra “alta-costura” costuma ser muito utilizada no nosso país para se referir a grandes costureiras capazes de produzir vestidos de festa de confecção difícil. Mas, na verdade, esse é um dos maiores erros que percebi.

“Alta-costura”, entretanto, é um nome registrado. Ela é caracterizada pela exclusividade, pelo feito à mão, pelo uso dos materiais de qualidade superior e pela fidelidade às regras do sindicato. Isso mesmo! Existe um Sindicato de Alta-Costura em Paris e somente as marcas (de Paris e em Paris) que são aceitas nele podem dizer que produzem Alta-costura. Isso significa que se a marca não está em Paris e não foi aceita pelo sindicato, ela não pode usar este termo para se referir à qualidade das roupas que ela faz. Então, as costureiras brasileiras não produzem “Alta-Costura”, elas são extremamente talentosas na “costura sob medida”.

 

SUSTENTABILIDADE

Outra coisa que aprendi na faculdade foi que a sustentabilidade não se faz somente se preocupando com a ecologia criando produtos de baixo impacto.

A sustentabilidade se trata de um tripé: econômico, social e ambiental. O  produto de uma empresa sustentável precisa ser economicamente viável (mantém a empresa no mercado economicamente falando), socialmente justo (sem trabalho escravo, pagando salários justos e se preocupando com a segurança do trabalhador, por exemplo) e ambientalmente aceitável (baixo impacto ambiental).

Só depois de se encaixar neste tripé uma empresa pode realmente dizer que é sustentável.

 

COURO ECOLÓGICO

Esse tal do “couro ecológico” deixa os curtumes doidos! Não existe “couro ecológico”, “couro fake”, ou “couro sintético”. Couro é couro! É animal e só é conseguido desta forma, no animal. Estes outros industrializados são “laminados sintéticos”.

Existe uma luta para que o vocabulário se corrija, afinal, falar que um laminado de plástico é couro desvaloriza o couro real e nenhum sintético substitui a qualidade e a durabilidade do mesmo.

 

Obrigada por ler!!!! Espero que você tenha gostado! <3 J

Deus abençoe a sua vida e a sua família. 

Comente este Artigo